quarta-feira, dezembro 05, 2007

Ter ou não ter??? Eis a questão...


Por motivos que agora não interessam nada, o tema surgiu na conversa: ‘Alma Gémea’. Pior do que não saber quem será é não saber o que isso é na realidade. Nada melhor do que uma “piquena” busca na net... Ou não, porque na realidade não fiquei nada esclarecida mas... Achei graça a algumas ideias tipo:

“Onde está minha Alma Gêmea?
Podemos estabelecer uma variedade enorme de relacionamentos, de conhecidos da escola a amantes, o relacionamento mais almejado é a relação de Alma Gêmea. Embora seja aquela que mais nos desafia e mais nos faz sofrer.Como taróloga venho me dedicando desde 1978 a arte da compreensão deste mistério que é o romance. E como mulher venho me observando atentamente na minha vivência de mulher, amante, mãe e amiga. Com toda a minha experiência, ouvindo o sofrimento e as alegrias de mais de 5000 clientes, como mulher que viveu casamentos, filhos, solidão. Ainda acredito no amor, nessa capacidade maravilhosa de nos agregar, e compor uma célula construtiva.Ainda admiro essa "coincidência" de poder encontrar aquela pessoa, que simplesmente se encaixa com tudo o que a gente é e quer. Aquela pessoa que nos completa, que nos inspira a ser ainda mais nós mesmos. Aquela identificação profunda, que parece que Deus só esqueceu de colar as peças antes de embrulhar..E é com essa admiração pelo romance, que eu atendo meus clientes, com todo carinho a essa parte tão importante que temos, que é nossa vontade de amar e ser amado.No meu trabalho busco ampliar sua consciência sobre si mesmo, e das especialidades do seu ser. Ajudando você a manifestar a sua beleza e se tornar atrativo o suficiente para se aproximar e ser identificado pela sua Alma Gêmea.
Com todo meu amor, Nelise Carbonare Vieira”

Esta também achei linda:

“O que é a nossa alma gémea?
Dizem que Deus, ao criar cada alma deu-lhe uma forma arredondada - uma esfera. Seguidamente, cortou-a em duas metades e colocou cada uma num corpo diferente. A alma gémea não é mais do que a nossa outra metade perdida e todos quantos a buscarem encontrá-la-ão. Cada alma tem por missão descobrir a metade que lhe falta – a sua alma gémea. O primeiro passo a dar é acreditar na sua existência.”

Eheheh
And last but not least...

“Minha experiência com o consultório, fizeram com que eu desenvolvesse alguns temas para palestras. Estes, vieram de assuntos muito comuns dos meus clientes. A problemática afetiva é o principal motivo das pessoas que me procuram, isto é que me levou a falar sobre ‘A Alma Gêmea’. Segundo a teoria de interpretação dos símbolos da psicologia Junguiana, poderíamos dizer que o símbolo da Alma Gêmea, representa o arquétipo da afetividade do nosso tempo. Antigamente, o príncipe encantado, era aquele homem, que nos tiraria da família repressiva, mas que nem sempre nos oferecia o paraíso. Atualmente, queremos garantir melhor nossa realização, então buscamos a nossa cara metade.
No fundo desta análise, defendo a idéia, que por trás da Revolução Sexual, existe um processo, que vem se intensificando cada vez mais, que é a busca da realização em todos os níveis da nossa vida. A Realização Pessoal virou o grande tema da atualidade. Tudo o que fazíamos, passamos a questionar segundo este prisma. No trabalho, não queremos apenas ganhar dinheiro, agora, queremos fazer o que nos dá prazer, queremos nos sentir úteis, usar nossos dons, tendo com isto mais vontade, e competência. Como também ter perspectivas de crescimento. Até, os filhos, cada vez desenvolvemos técnicas mais elaboradas, para tê-los na hora certa, e escolher o sexo. Visando realmente chegar o mais próximo da nossa Vontade.
Assim, também mudou o padrão do nosso Príncipe Encantado. Quem é nossa Alma Gêmea? É uma pessoa que se identifica muito com a gente. Dá aquela impressão de que nós conhecíamos já há muito tempo, mesmo só fazendo dois dias. Pensa as mesmas loucuras... parece que nos entende melhor do que nós mesmo. Enfim, é alguém que encaixa muito bem com nossos ideais, nossas idéias, que acrescenta muita coisa, ajuda a gente a crescer. E reciprocamente a coisa acontece igual. Uma série de exigências cercam essa relação: Esperamos que ele seja nosso companheiro, que construa junto com a gente nossa vida. Atraente, sedutor, que nos envolva emocionalmente. Determinado, centrado nos próprios ideais e cúmplice nos nossos projetos. E por fim, que nos dê o sentido de nossa vida.
Essa relação fica muito ideal, e muito difícil de acontecer, se nós mesmos não conseguirmos ser tudo isto que agente espera do outro. E essa é a característica principal da relação de Alma Gêmea: uma pessoa que tem os requisitos básicos de identificação, que permitem a gente projetar aquilo que na realidade queremos ser. Então, não é bem, um mar de rosas... No começo principalmente, a impressão é bem outra. Parece um inferno. Acontece que nós encontramos na Alma Gêmea, muitas partes nossas que nós ainda não conhecemos, e muitas vezes até rejeitamos. Aí, fica tudo muito confuso, e quanto mais identificamos as igualdades, mais medo temos, isto trás distancia, esfria os sentimentos. Mas, a atração provocada pela estreita sintonia, por aquela sensação de que a vida do outro é extremamente importante para nós faz, com que superemos as nossas barreiras, e derretendo aquele gelo vagarosamente, nos aproximemos novamente. Com o tempo, as crises como ondas vão abrandando, até terminarem, em geral até os dois anos.
A relação com a cara metade é eterna? Não, encontrar a Alma Gêmea, não quer dizer resolver definitivamente a questão afetiva. Na verdade, encontrar a Alma Gêmea representa encontrar alguém, que se identifica muito com agente, e que contribui para o nosso crescimento. Através desta relação, identificamos nossas próprias características, espelhadas no parceiro, descobrimos melhor então quem somos nós. Porém, existem limites para esse crescimento, cada um tem seus bloqueios, suas dificuldades, defeitos, traumas que trazem uma série de medos, e nem sempre conseguimos superar esses bloqueios, passando a prejudicar o crescimento da relação e muitas vezes até o crescimento do parceiro. Por sete anos, mais ou menos, a gente suporta os problemas do outro, mais se este não conseguir nem se mobilizar para a transformação destes defeitos, o contrato pode não ser renovado. E aí, a relação passa a se desgastar cada vez mais, gerando muitos mágoas. Só temos uma Alma Gêmea? Não, podemos ter outra Alma Gêmea, e quanto mais ampliamos a consciência de nós mesmos, mais profunda a identificação, mais intensa a relação e maior possibilidade de crescimento.
Isto não quer dizer que precisamos de trocar o parceiro. Também é possível, manter uma crescimento de ambas as partes e da relação, renovando o contrato por vários setênios, até o fim da vida. Elas vêm de vidas passadas? No meu trabalho, vejo coisas impressionantes, as "coincidências", a sincornicidade são dificeis de explicar na luz da psicologia. Isto faz pensar, que possamos realmente reencontrar pessoas. Como por exemplo, reconhecer estórias de vida muito semelhantes entre os parceiros. Ou uma determinada missão que só inicia com este parceiro, que muda a vida da pessoa mas que parece que ela esteve se preparando para este encontro deste que nasceu, e a recíproca também acontece, misteriosamente. Como também aquele caso mais simples, do amor a primeira vista, que ligam as pessoas de uma forma muito intensa. De qualquer forma o encontro com a Alma Gêmea, traz muitas mudanças, em nossa vida, e sempre é um marco de uma nova etapa, que em geral vai durar sete anos, a partir disto vem uma renovação do sentido de vida, e conforme a relação, ela se mantém ou não."

2 comentários:

Herly disse...

Sinceramente a k eu gostei mais fi a segunda...

E já que estamos numa de sinceridade, não tive paciência para ler o testamento da terceira....

Cathy disse...

somos dois... ahahahahahahahahahahah
sorry sister, tooooo boringggg!